Sra. do Salto e Serra da Freita

Sexta Feira 30 de Novembro

Encontro marcado para as 9h30 da manhã.. Alguns piropos de caractér mais ofensivo aquando do encontro do grupo, começaram logo por dar ideia da animosidade que se iria sentir.. O destino era o Parque Natural da Sra. do Salto, para uma escalada clássica na via “Duresa” um V+ com 80 metros. Antes de nos dirigirmos ao nosso destino, ainda houve tempo para um pequeno almoço e respectivas compras para o “manjar” que se ansiava para depois da escalada. Pão, chouriço, salpicão e maduro tinto eram um bom restabelecedor de energias!! Na viagem fomos discutindo estratégias, delineando planos e afins…. “Ei lá… acho que me esqueci do arnês..” dito em tom de brincadeira e vindo do Manel Assunção parecia ser mais um desafio para a “borga”.. Mas infelizmente não era e infelizmente mais coisas tinham ficado esquecidas..
De cinco pessoas no carro, só quatro é que iriam escalar, dessas quatro só duas tinham levado os capacetes, apenas duas cordas estavam incluídas na bagagem… enfim, planos meios “furados”!! Chegados ao local, acabamos por escolher o “velhinho” sector da Capela para as nossas incursões verticais! Cordadas decididas, Manel A./Vitó e eu e o MR.. Restava o Manel C.(também conhecido por Manel Rambóia) que nos tinha acompanhado para ver uns frouxos a escalar e tirar umas fotos.. A primeira cordada optou por começar na via “Urso Fozi” um 6a de presa generosa e com umas saídas de tecto muito engraçadas.. Eu lá fui dar segurança ao MR que se decidiu pela “Via do Escudo” um V+ igualmente engraçado, pelo trabalho de pés que exige. Foi bom ver uma vez mais a motivação do MR!! A outra cordada, ia continuando as suas progressões verticais sendo que um deles andava com um arnês “velhinho” encontrado no fundo da mochila e que tinha uns bons menos 5 cm do que devia, o que colocava esse escalador com uma cinturinha bem elegante!! (Querias tu andar assim todos os dias… hehe)..

Enquanto isso lá fiz eu a “Via do Escudo” para montar um agradável Top para que o Manel Rambóia pudesse matar saudades.. E de referir que fez a via em grande estilo!!

016.jpg

MR, na “Via do Escudo”

 018.jpg

MR e Manel C. na “Via do Escudo”

Já quentes, Manel A. e Vitó passaram para uma via não nomeada (pelo menos que a gente saiba) mas de grau 6b. A via tem uma passagem em tecto espectacular!

017.jpg

Manel Assunção na “Urso Fozi” assegurado pelo Vitor

020.jpg

Manel Assunção na passagem do tecto da via não nomeada – 6b

019.jpg

Vitor na via “Urso Fozi” e na via não nomeada

021.jpg

Vitor na via não nomeada

Eu e o MR lá nos fomos provar a “Urso Fozi” que realmente mostrava ser apetecível!! E revelou-se ser assim mesmo!! Deixo apenas um conselho para os escaladores casados… não levem a aliança! A minha ganhou mais umas amassadelas, não tarda fica a parecer o Anel do Senhor dos Anéis.. Com tanto rabisco, só ficará a faltar a emissão dos raios de luz..

015.jpg

Eu na via “Urso Fozi”

014.jpg

Na passagem do tecto

 O MR, nesta via decidiu meter nojo.. Mas nem valerá a pena falar nisso!!

Só sei que me deves duas Super Bock.. Uma por cada via!!

O almoço tardava em chegar, o povo já estava todo meio rezingão!! O Manel A. e o Vitó ainda foram fazer a “Bailinho da Madeira” um 6a com uma apresentação mais exposta..

022.jpg

Manel Assunção e Vitor na “Bailinho da Madeira”

 Durante a subida o Vitó teve uma falha de concentração e errou um passe o que o obrigou a mandar uma quedazita.. Sim.. quedazita! Caiu cerca de um metro apenas, mas pela forma da parede assustou-nos de imediato, visto a perna direita ter-se metido por uma saliência.. “Estás bem??…” “Sim estou, siga!!… Pára… desce!! Aleijei-me..

Ao cair raspou com a perna numa saliência mais aguçada da rocha!! Ao chegar cá baixo, os receios mostraram-se mais feios do que pareciam! Tinha “rasgado” a perna na zona da canela.. um corte com cerca de 5/6 cm e uma profundidade considerável ao ponto de se ver a tíbia (aquele osso a que chamamos “canela”).. Mobilizados os primeiros socorros existentes nas mochilas (refira-se que poucos), foi o Luís, que entretanto tinha chegado para nos acompanhar no almoço, que se encaminhou para o Hospital com o Vitó. Enquanto isso eu o Manel voltamos a fazer uma última subida para tirar o material que tinha ficado na parede..

Os pensamentos e conversas soltavam-se… sim apesar de tudo tivemos (o Vitor teve) muita sorte.. “Saiu daqui bem, ia tranquilo..” Acho que acabou por ser um motivo de reflexão para todos os presentes.. As brincadeiras e baldas (ainda que responsáveis ) que por vezes se tem apenas porque nos sentimos confortáveis na parede podem sempre traduzir-se em pequenos momentos de descontracção e consequentes faltas de concentração e acidentes. Embora este não tenha sido o caso, mas sim uma infeliz pequena queda! Acabamos por nos dirigir todos ao Hospital de S. João.. Os sms’s iam sendo trocados de forma a ter conhecimento do estado do Vítor que continuava com super boa disposição e se encontrava a aguardar por fazer um RX.. “Vamos mas é almoçar.. manda-lhe um sms.. quando estiver pronto que avise!!” O local escolhido para o almoço foi o parque de estacionamento onde deixamos os carros, mesmo em frente ao Hospital!! Maduro tinto, chouriços e afins.. e todos quantos passavam muito admirados a olhar para o nosso manjar!! Invejosos!! Acabou por ficar tudo bem, o Vítor levou uns pontecos (ainda queremos saber quantos, porque fizemos umas apostas acerca do número) e vai ficar cerca de um mês sem poder fazer grandes aventuras ou corridas com a perna..

Vítor.. os desejos de melhoras, uma rápida recuperação e futuras quedas saudáveis!!

Sábado 1 de Dezembro

Depois de todas as “aventuras” do dia anterior, tinha tido um jantareco daqueles que mais parece uma tragédia grega.. Cheguei tarde a casa, com um forte trago a aguardente velha na boca e estava cansado.. Mas não foi motivo suficiente para não partirmos em direcção à Serra da Freita!

Hora de saída: 8h15m (loucos).. Depois de uma paragem para um pequeno almoço e encontro com amigos, voltamos a parar já em Arouca.. para mais um pequeno almoço!!

Depois de chegados ao ponto indicado para deixar o carro, seguimos pelo caminho/trilho da esquerda.. Galinhas, cabras e vacas foram os anfitriões da nossa passagem!! Caminhamos cerca de 20 minutos até nos apercebermos que nos teríamos enganado no caminho de certeza! O nevoeiro era intenso e não se via um corno (a não ser os das vacas com as quais nos tínhamos cruzado).. De volta aos carros, experimentamos o outro caminho..desta vez um trilho.. o trilho certo! Cerca de cinco minutos e estávamos nas paredes, no sector “Cabaços de Baixo”..

Granito com força. Boas presas, prometia!! Azarito foi que o nevoeiro fez-se acompanhar de chuva!! Ainda aguentamos na base das paredes cerca de 20 minutos, mas em vão! Vamos mas é dar uma volta e conhecer os outros sectores!! É importante salientar que junto às paredes existe um “quadro” com os croquis. Trabalho impecável! Neste momento nesse sector já existem mais duas vias equipadas, um 6a+ e um 6b+! Ambas de excelente aspecto!

 Acabamos por nos refugiar num pequeno parque, propício as merendas e almoçamos por lá!! Foi um dia sem escalar!! Mas na certeza que brevemente voltaremos!

~ por savak em Dezembro 3, 2007.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: